Mauro Zamaro

Advogado Especialista em Direito Militar e Pós graduando em Direito Empresarial e em Direito Eletrônico.

Algumas explicações essenciais à boa relação Cliente-Advogado.

A primeira coisa a saber é que NÃO EXISTE CAUSA GANHA!

Transparência é a capacidade de não deixar nada oculto. Do início ao fim da demanda, o cliente será informado sobre os andamentos e ações tomadas.

O sucesso numa demanda jurídica é um conjunto de boa técnica, boas provas e bom direito a ser aplicado.

Para isso acontecer é fundamental que o cliente e o advogado joguem  no mesmo time!

Prometer “Causa Ganha” é infração perante a ética da OAB e pode gerar punições ao advogado.

O contrato celebrado entre o cliente e o advogado tem de garantir que o ADVOGADO vai aplicar a técnica jurídica da melhor maneira possível para ter o melhor resultado possível na defesa dos interesses do cliente.

As responsabilidades técnicas são do advogado mas cabe ao cliente trazer todos os elementos necessários ao advogado para que ele possa realizar bem o seu trabalho.

Somente a verdade, nada mais que a verdade!

Não é possível ao advogado defender os interesses de seu cliente se este não lhe conta toda a verdade sobre os fatos ou circunstâncias.

Existe um dever legal que proíbe ao advogado revelar ou compartilhar quaisquer informações dos clientes com qualquer pessoa fora da relação cliente-advogado.

Em juízo, suas informações são protegidas por deveres semelhantes do Poder Judiciário.

Ações em segredo de justiça

Há alguns tipos de ações que correm em “segredo de justiça”. Isso quer dizer que ninguém além dos interessados terão acesso ao conteúdo dessas ações.

Alguns termos que normalmente geram confusão na cabeça do cliente

Concluso: quando um processo está concluso, não quer dizer que ele chegou ao fim! Quer dizer que o JUIZ está com ele em sua mesa (ainda que virtual) para tomar alguma decisão sobre o caso. É preciso aguardar a fila de decisão. Só depois de sair do modo “concluso” é que se saberá qual foi a decisão proferida pelo julgador.

Sucumbência: trata-se de honorários advocatícios pagos pela parte que “perdeu” o processo ao advogado da parte que “ganhou”. Isso mesmo essa é uma verba destinada ao advogado.

Despacho: Calma lá! Não tem nada de macumba nisso! Despacho é um tipo de pronunciamento breve feito pelo julgador para movimentar algum procedimento dentro do processo. É uma decisão que não encerra o processo, ou seja, é uma decisão intermediária. O Advogado é responsável por verificar o que deve ser feito a partir do que estiver no despacho do juiz.

Intimação e Citação: trata-se de procedimentos que servem para comunicar uma parte do processo de algo que ela precisa saber ou fazer. A citação acontece normalmente no inicio do processo para indicar à parte acionada que ela está sendo processado para que possa se defender. A intimação serve para dar ciência de algo que uma parte precisa saber no decorrer do processo.

Sobre os Honorários

Os honorários advocatícios não dependem da vitória na ação. A função do advogado é realizar seu ofício e conhecimento das técnicas jurídicas para buscar os interesses do seu cliente. Essa função exige esforço, estudo, preparo, dedicação e aplicação das técnicas em tempo certo.

Os honorários são estabelecidos na contratação. Valores e formas de pagamento fazem com que o advogado consiga se planejar e se manter durante as ações que promove para seus clientes. Honorários são o sustento do advogado. Os valores acordados normalmente compreendem ações em 1ª Instância.

O andamento do processo depende de um conjunto de vontades

Quando o cliente aciona o Poder Judiciário através do trabalho técnico de seu advogado, há um conjunto de ações que tem de seguir o fluxo previsto na lei processual e isso consome tempo.

PRAZOS existem para serem cumpridos! É função do advogado cumprí-los nos atos processuais!

Mas para que isso ocorra, o cliente também tem de cumprir os prazos informados.

Sempre que o processo tiver alguma movimentação, o advogado irá te informar!

Em caso de dúvida, acione os contatos informados na contratação.

Prestação de contas

Como se trata de uma função de meio, isto é, o advogado é contratado para atuar na causa em favor de seu cliente, é dever do Advogado prestar contas pelos serviços prestados.

Desta forma, Prestar contas não significa somente apresentar os recibos e notas das despesas efetuadas, mas também periodicamente informar ao cliente o que está sendo realizado em sua demanda.

Assim, com periodicidade você poderá receber um e-mail ou uma mensagem com as informações sobre o andamento do processo. 

Dúvidas e perguntas podem ser realizadas através desse meio de comunicação.

Agendamentos de consultas poderão ser realizadas através do WhatsApp.

O tempo de resposta poderá variar de acordo com a disponibilidade da agenda

A comunicação padrão do escritório com o cliente é através do correio eletrônico.

%d blogueiros gostam disto: