Filme: Uma mente brilhante

O filme foi baseado no livro A Beautiful Mind: A Biography of John Forbes Nash Jr., de Sylvia Nasar. e conta a história real de John Nash

Aos 21 anos, Nash formulou um teorema que provou sua genialidade.

O filme começa com a chegada de Nash à universidade de Princeton onde recusa-se a participar das atividades acadêmicas. O personagem tem a obsessão de encontrar uma ‘ideia original’. Com o incentivo de um colega, ele utiliza fontes não convencionais de inspiração como, por exemplo, o estudo os movimentos de pássaros. Em uma conversa de bar Nash encontra a inspiração para uma teoria econômica aplicável à economia moderna, pondo à prova as teorias vigentes até então postuladas por Adam Simth.

O trabalho de Nash é reconhecido após ter realizado alguns trabalhos descriptografia de códigos russos para o Pentágono.Ele se casa com uma de suas alunas, Alicia com quem tem um filho.

Ele fica paranoico devido à pressão causada por uma série de eventos de perseguição por desconhecidos dos quais foi alvo. Foi diagnosticado então como Esquisofrênico.

A partir desse ponto, Nash inicia uma luta diária contra a esquizofrenia e contra os que duvidavam de sua recuperação.

O filme termina o reconhecimento pelo qual Nash tanto ansiava: o Prémio Nobel de Economia em 1994, pelo seu contributo na Teoria dos Jogos.

O filme apresenta a história de uma pessoa inteligente e, ao mesmo tempo, que sofre de um distúrbio mental. Não creio ser possível – aos ditos ‘normais’ – imaginar o que é adentrar ao mundo interno de uma pessoa nessas condições.Sendo um caso verídico, a maior notoriedade se deve ao fato de Nash ter sido um dos grandes matemáticos do século XX, ganhador de um Prêmio Nobel de Economia.

O filme retrata Nash como uma pessoa genial sobre os assuntos da matemática cujo comportamento social – como a média dos ‘gênios’ – desastroso

a postura dele, frente aos demais, as vezes arrogante somente retrata o mesmo anseio vivido por qualquer jovem que busca firmar-se frente aos demais com algo que o diferencie dos demais, em seu caso, a ideia inédita.

Para a prática docente, o filme leva à reflexão de que devemos prestar atenção às necessidades especiais de nossos alunos e que não devemos agir de forma preconceituosa possibilitando o desenvolvimento pleno de suas capacidades apesar de suas restrições psíquicas, motoras ou congnitivas. Por tras de um aluno “especial” pode haver uma história de superação e mesmo uma pessoa que não se enquadre na média comportamental pode promover avanços significativos para nossa sociedade. Basta que acreditemos em seu potencial e permitamos a execução de seu processo de aprendizagem de forma plena com respeito às suas limitações.